Uma pessoa multipotencial não é especialista em coisa nenhuma? Nunca acaba o que começou?

Há um conceito do qual discordo, que é este que diz que o multipotencial não é especialista em coisa nenhuma e que nunca acaba aquilo que começou.

É verdade que, por termos habilidades em muitas coisas, e desejarmos muitas coisas, pode ser que no meio disso a gente perca um pouco do foco. Talvez por falta de disciplina, de organização, ou mesmo por não dar conta de todas as coisas maravilhosas que desejamos fazer.

Pode ser também que algumas coisas sejam entediantes. Ou que a gente comece com muita empolgação numa coisa e depois o interesse se perca. Razão? A gente vê que a vida é ampla e cheia de possibilidades, e não vale a pena ficar perdendo tempo naquilo se, por outro lado, há tantas outras coisas que queremos.

Mas isso não significa que nos escape o lado racional das coisas.

Por exemplo. Claro que para nós é muito importante estarmos altamente satisfeitos com a nossa profissão. Só que, sabemos disso muito bem, nem todas as pessoas podem se dar ao luxo – ou pelo menos não na hora que querem – de trabalhar apenas com aquilo que amam. Mas pensa uma coisa: se você tem um trabalho, mesmo um trabalho que não ama tanto, mas é bem remunerado com ele, através desse dinheiro você vai poder fazer as coisas que gosta e talvez, no futuro, poder viver apenas daquilo que gosta.

Eu amo muitas coisas, várias profissões. Mas tenho a racionalidade de perceber o que pode me ser útil ou não em determinado momento ou circunstância, e, de acordo com isso, priorizar a minha maior especialização naquilo ou não.

Por exemplo: nesses últimos anos trabalho como massoterapeuta e depiladora. O curso de massoterapia, por exemplo, tirei em 2004. Mas, como trabalho com isso diariamente – quer dizer, não mais agora, por causa da pandemia – óbvio que então dedico a minha especialização a este campo, ou seja, faço outros cursos do meu interesse, mas dou prioridade a fazer mais cursos na área da massoterapia e da depilação porque afinal é este o meu ofício diário.

Amo a massoterapia, mas, por ser multipotencial, não posso garantir para ninguém que exercerei essa atividade para o resto de toda a minha – assim espero! – longa vida, porque até lá pode acontecer muita coisa e eu inclusive posso descobrir novos ou velhos interesses que posso querer explorar. Mas, enquanto sou massoterapeuta, ou melhor, enquanto eu estiver exercendo aa minha atividade como massoterapeuta, faço questão de ser melhor sim, e por isso busco constante aperfeiçoamento nessa área.

Recentemente fiz um curso de acupuntura estética (fiz vários posts falando desse curso e dando dicas de beleza utilizando a acupuntura com agulhas ou sem), e, para ser sincera, neste momento não me sinto com vontade de trabalhar com isso. No futuro? Talvez, sei lá, não tenho como saber. Mas fiz o curso sim porque, enquanto massoterapeuta, enquanto pessoa que trabalha com a saúde das pessoas, saber disso é importante sim.

Ainda essa semana vou iniciar aqui no blog o Projeto Poliglota, que é um projeto voltado para a aprendizagem de idiomas. Não é um projeto onde vou ensinar idiomas, mas onde vou estar mostrando como estudo. Para algumas pessoas, pode ser mais útil estudar um único idioma até adquirir a fluência total, mas eu acredito que não somos totalmente fluentes nem no nosso próprio idioma. Por isso, para mim faz sentido sim aprender vários idiomas, ao invés de me dedicar a um único, porque nisso – assim como na maior parte das coisas – a aprendizagem é contínua. Eu não era fluente em inglês quando viajei para Londres ou para Dubai, e isso não me impediu de viajar e de ter feito o máximo com o mínimo de conhecimento que tinha. Se eu tenho 50 anos pra frente para aprender um único idioma, claro que nesses 50 anos vou poder falar com várias pessoas daquele idioma da forma mais fluente possível, mas também estarei me fechando para a possibilidade de conhecer outras culturas de pessoas que falam outro idioma, ou seja, para mim o mais importante nem é a fluência, mas conseguir me comunicar, o resto a gente vai aprendendo.

Não preciso ser especialista em tudo. Na verdade nem quero, até porque eu sei que, se viver até aos 140 anos, não vou ter tempo para aprender tudo aquilo que desejo.

Sugestão do Google pra você :

Autor: paoladebalzac

Multipotencial, faço cursos novos o tempo todo e tenho muitas profissões. A vida para mim é ampla e cheia de possibilidades. Trabalho presencialmente como massoterapeuta e depiladora, além dos meus trabalhos online com cursos para desenvolvimento profissional. Tenho também um blog pessoal onde falo sobre literatura, viagens e cachorros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *