Sol de setembro à noite (Te amo às vezes) – Vídeo e letra – Compositora Paola de Balzac

Letra: Sol de Setembro à noite (Te amo às vezes)

Minto que não te quero

Finjo que não te espero

Mas enquanto não chegas

Troco mil vezes de roupa

Passo um batom na minha boca

E ponho o meu melhor perfume francês.

Refrão:

Mas se me perguntas se eu te amo

Digo que “talvez” ou “só de vez em quando”

Não olho fotografias

Pra não pensar em você

Porque é mais sobre quem somos

Que o que fomos ou podemos ser.

Vigio a noite vazia

Dessa cidade pacata

Mas justo naquele dia

Todos os carros

Passaram em frente

À minha casa

(Só porque eu te esperava!)

(Refrão)

Meu coração acelera

Um barulho, e quem era?

Era só o pipoqueiro!

Eu continuo à espera

Vi alguém na janela

Era só um fofoqueiro

Aqui nessa rua sem graça

Onde a vida não passa

Se eu bem me lembro

Passou o mundo inteiro

Naquele dia…

O Presidente, o Papa,

Até o Papai Noel em Setembro

Passou primeiro

E você não aparecia!

(Refrão)

Enfim, uma luz dobrando a esquina

Eu, fingindo descaso

Com o seu atraso

Mas a mulher brava

Já virou menina

Reduz e pisca o farol

Abre a porta, era o sol

Na noite de setembro

Aqui na minha casa

Você era a lua, era o sol,

Era fogo, era luz, era brasa

Hoje acesa, amanhã apagada.

(Refrão)

Com tudo já decorado

Você do meu lado

Digo: Não te quero!

– Não mente, menina!!!

O abraço apertado,

Pés de bailarina

O sorriso sincero no rosto

Tudo me denuncia!

Que não resisto ao seu jeito

De homem tão sério

Tão cheio de histórias,

Paixão e saber,

E cantando Cartola

Era todo mistério

De um livro por ler…

… que eu gosto de ler

Que eu gosto de ler

Que eu gosto de ler

Que eu gosto de ler!

(Refrão)

Só porque eu não te amo

Dei-te eu inteira e o meu corpo

Imagina se te amasse

O que não te daria?!

Conheça outras composições minhas aqui.

Sugestão do Google pra você :