Sol de setembro à noite (Te amo às vezes) – Vídeo e letra – Compositora Paola de Balzac

Letra: Sol de Setembro à noite (Te amo às vezes)

Minto que não te quero

Finjo que não te espero

Mas enquanto não chegas

Troco mil vezes de roupa

Passo um batom na minha boca

E ponho o meu melhor perfume francês.

Refrão:

Mas se me perguntas se eu te amo

Digo que “talvez” ou “só de vez em quando”

Não olho fotografias

Pra não pensar em você

Porque é mais sobre quem somos

Que o que fomos ou podemos ser.

Vigio a noite vazia

Dessa cidade pacata

Mas justo naquele dia

Todos os carros

Passaram em frente

À minha casa

(Só porque eu te esperava!)

(Refrão)

Meu coração acelera

Um barulho, e quem era?

Era só o pipoqueiro!

Eu continuo à espera

Vi alguém na janela

Era só um fofoqueiro

Aqui nessa rua sem graça

Onde a vida não passa

Se eu bem me lembro

Passou o mundo inteiro

Naquele dia…

O Presidente, o Papa,

Até o Papai Noel em Setembro

Passou primeiro

E você não aparecia!

(Refrão)

Enfim, uma luz dobrando a esquina

Eu, fingindo descaso

Com o seu atraso

Mas a mulher brava

Já virou menina

Reduz e pisca o farol

Abre a porta, era o sol

Na noite de setembro

Aqui na minha casa

Você era a lua, era o sol,

Era fogo, era luz, era brasa

Hoje acesa, amanhã apagada.

(Refrão)

Com tudo já decorado

Você do meu lado

Digo: Não te quero!

– Não mente, menina!!!

O abraço apertado,

Pés de bailarina

O sorriso sincero no rosto

Tudo me denuncia!

Que não resisto ao seu jeito

De homem tão sério

Tão cheio de histórias,

Paixão e saber,

E cantando Cartola

Era todo mistério

De um livro por ler…

… que eu gosto de ler

Que eu gosto de ler

Que eu gosto de ler

Que eu gosto de ler!

(Refrão)

Só porque eu não te amo

Dei-te eu inteira e o meu corpo

Imagina se te amasse

O que não te daria?!

Conheça outras composições minhas aqui.

Sugestão do Google pra você :

Obrigada a todos que estão curtindo a minha música

Obrigada a todos que estão curtindo a minha música no youtube, tenho certeza de que o coração de vocês é lindo e generoso. Para mim, que antes só mostrava as minhas músicas para menos de 10 pessoas muitíssimo íntimas, tem sido uma experiência nova mostrar esse meu outro lado também para pessoas que não conheço. Cada uma que entra, que visualiza, que me manda seu feedback pot comentário ou mensagem, deixa meu coração leve e feliz. 
Sugestão do Google pra você :

Vídeo: Música inédita: Luz na caminhada (vida de negs)

luz na caminhada vida de negs música autoral

Assista ao vídeo e conheça a música: https://youtu.be/eHn86qIPoY8

SOBRE O VÍDEO E SOBRE ESSA MÚSICA QUE COMPUS:

(Veja a letra da música aqui abaixo também, no final da descrição desse vídeo. Se quiser receber o áudio no whats, veja como me pedir também mais abaixo).

Pela primeira vez na vida,  tomei coragem de mostrar para desconhecidos uma música de minha autoria. Componho desde criança, mas ao contrário do que acontecia com a poesia, que eu expunha ao participar de concursos literários, com a música aconteceu o inverso, foi se tornando uma coisa só minha, que eu partilhava apenas com a família e amigos, talvez até pela necessidade que a música tem de respirar, de ficar de molho ou em banho-maria.

Essa música que vou mostrar para vocês não teve tempo de respirar. Foi feita agorinha no dia 14 de fevereiro à noite, enquanto conversava com um amigo. Está no esqueleto, crua, mas talvez por isso mesmo eu esteja nesse momento embriagada pela força dessa letra, feliz pela missão cumprida de conseguir passar a minha mensagem.

O que me inspirou para escrever essa música foi todo o movimento de solidariedade no Vidigal na altura do temporal que matou várias pessoas e deixou dezenas de desabrigados, já falei sobre isso aqui num vídeo recente, sobre o quanto fiquei feliz de ver as pessoas se mobilizando, arregaçando as mangas, se ajudando, o que foi inclusive uma feliz surpresa,  porque nos últimos tempos o que mais via era o cenário de pessoas que simplesmente preferiam deixar as situações apenas nas mãos dos políticos, como se pudéssemos nos dar ao “luxo” – luxo? – de esperar até que façam alguma coisa pelos que mais precisam…

Apesar de ter feito essa música em menos de meia hora (ao contrário de outras que compus, que já demoraram muito tempo para nascer), o processo de escrita foi fácil por uma questão cognitiva, porque é como se só faltasse saír, a música já existia antes mesmo de eu saber que ela existiria. Foi como dar a luz sem saber que estava grávida.

Sem eu ainda ter consciência disso, essa música foi se formando na minha cabeça ao olhar em volta, ao acompanhar os stories do Jonathan Azevedo (@negblack) e da Roberta Rodrigues (@rorodrigues) no Instagram desde a altura do temporal. Era como estar lá. Era sentir toda a dor e todo o amor também. Foi algo muito triste que aconteceu, mas também foi algo muito bonito, no sentido de ver esse movimento de solidariedade.

Eu via cada segundo da Roberta agilizando o movimento, chorando com a voz embargada, e o Jonathan descendo o beco tantas vezes, sempre mostrando positividade, “Vida de negs não pára”, “Luz na caminhada” são frases dele, que eu queria que fizessem parte dessa música porque são frases que foram fortes na motivação de todo esse movimento.

Além do mais, a necessidade (sim, escrever é para mim uma necessidade, não fico em paz enquanto não coloco as ideias para fora, como se elas pudessem me sufocar) de escrever essa música também tinha a ver com outros fatores: primeiro, o fato de vermos tantas outras tragédias nesse início de 2019 (a sensação, para quem estava de longe, acompanhando pela tv, era que nem dava para sofrer direito por um acontecimento ou absorve-lo, que já vinha outro logo de seguida); segundo, estamos num momento (quando não estivemos? ou será que só hoje temos mais consciência disso?) em que percebemos muito claramente as manifestações de ódio por aí, e talvez nunca tenha se falado tanto sobre preconceito, seja racismo, machismo, homofobia, intolerância religiosa, entre outros.

Então eu queria escrever uma música que desse voz ao amor, o amor ao próximo, na verdade. Uma música que falasse dessa importância da união, de todo mundo ser igual a todo mundo, de amarmos ao próximo como a nós mesmos, de não cruzarmos os braços, de não deixarmos de fazer algo apenas por acharmos que só podemos fazer pouco, porque se todo mundo ajuda todo mundo, todo mundo fica bem. De sairmos do nosso quadradinho, de praticarmos a solidariedade mesmo com quem não conhecemos, de nos colocarmos à disposição, de nos lembrarmos que aquele outro ali também é um ser humano, tal como nós.

Compus essa música bem tarde da noite, tocando o violão baixinho, para não incomodar os vizinhos com minhas inspirações tardias. E como referi no vídeo, não sei tocar violão tão bem, nunca quis aprender, porque ter as mãos ocupadas com um instrumento me dá um pouco de agonia, quem já me viu dançando nos meus vídeos do Instagram (@paoladebalzacoficial) sabe que danço feito um bêbado elétrico, rs, eu sou movimento e energia, mesmo quando estou zen.

Espero que gostem da música, e que se envolvam com esse movimento do bem e do amor ao próximo. Fiquem à vontade para compartilhar esse vídeo, e caso queiram receber o áudio original dessa música (gravação caseira com o celular, eu cantando com o violão sem saber tocar violão, processo cru mas completamente possuída de amor) podem me pedir pelo whatsapp 32988465378 que eu mando a lera e o áudio para vocês. Qual a minha idéia com isso? Apenas passar a mensagem, e inspirar as pessoas a entrarem nessa atmosfera de solidariedade e de amor ao próximo.

LETRA DA MÚSICA:

Luz na caminhada (Vida de Negs)
Paola de Balzac

Quando você nessa vida chorar,
eu quero ser seu afeto, seu lenço,
seu ombro e seu colo
E quando você de mim precisar
eu quero ser sua mão, sua mãe,
sua terra, seu teto e seu solo.

Vida de negs não pára,
é só luz na caminhada,
só o amor e a paz
que destroem os muros,
constroem estradas.
Vida de negs nos fala:
quando as mãos estão dadas
juntos nós podemos tudo
e sozinhos, nada!

O que nos falta no mundo
é amor, empatia,
levar alegria aos outros,
não importa se é pouco,
o que vale é ajudar!
Deixar de lado o egoísmo
e plantar sorrisos nos rostos
assuma seu posto,
vem negs, com força
Deus vai nos guiar!

Vida de negs, vida de negs

Sugestão do Google pra você :

Letra da última música que compus: Luz na caminhada (Vida de Negs)

Luz na caminhada (Vida de Negs)
Paola de Balzac

Quando você nessa vida chorar,
eu quero ser seu afeto, seu lenço,
seu ombro e seu colo
E quando você de mim precisar
eu quero ser sua mão, sua mãe,
sua terra, seu teto e seu solo.

Vida de negs não pára,
é só luz na caminhada,
só o amor e a paz
que destroem os muros,
constroem estradas.
Vida de negs nos fala:
quando as mãos estão dadas
juntos nós podemos tudo
e sozinhos, nada!

O que nos falta no mundo
é amor, empatia,
levar alegria aos outros,
não importa se é pouco,
o que vale é ajudar!
Deixar de lado o egoísmo
e plantar sorrisos nos rostos
assuma seu posto,
vem negs, com força
Deus vai nos guiar!

Vida de negs, vida de negs

Sugestão do Google pra você :

Vou publicar no Youtube a última música que compus

Ainda hoje, vou fazer uma coisa inédita: mostrar para desconhecidos uma música que compus. Não só, vou publicar a última música que compus, ainda por esses dias, foi no dia 14 à noite. 
Na Bio do meu instagram (@paoladebalzacoficial) me descrevo como compositora, mas aí perguntam: mas cadê suas músicas? Pois é, nunca publiquei nenhuma, sempre mostrei só para familiares e amigos. Contraditório isso, né? Porque enquanto fotógrafa sempre mostrei minhas fotografias, enquanto massoterapeuta e depiladora sempre mostro algo relativo ao meu trabalho, e até nos tempos em que era só poetisa, participava de concursos literários e mostrava minhas poesias para desconhecidos também. Mas com a música, sempre foi uma coisa mais íntima, talvez inclusive pela necessidade que a composição tem de ficar de molho.
Mas dessa vez vou mostrar. E vou mostrar assim, no esqueleto, crua, e por quê? Porque quero espalhar a mensagem que essa música traz, que é uma mensagem de solidariedade e de amor ao próximo, algo urgente e necessário nos dias de hoje.
O nome da música é “Luz na Caminhada (Vida de negs)”, daqui a pouco trago a letra, e um pouquinho depois publicarei o vídeo lá no meu canal do youtube http://www.youtube.com/c/paoladebalzac.
Sugestão do Google pra você :

Siga meu canal no YouTube

Sugestão do Google pra você :

Mas se me perguntas se eu te amo

compositores

“Mas se me perguntas se eu te amoDigo que ‘talvez’ ou ‘só de vez em quando'”

(Trecho de uma música que acabei de compor hoje).

Sim, compor é uma grande maravilha, mas, muitas vezes, uma grande dor também.
Porque na poesia, ao escrever uma letra, a gente tem que buscar uma verdade lá de dentro.
E aí são horas e mais horas, por vezes dias – neste caso dois dias, mas algumas levam meses – remexendo na mesma letra, remoendo, retorcendo, redescobrindo emoções.
Por que escrever, se escrever pode trazer também tanta dor? Não é uma escolha. É uma necessidade. É preciso colocar para fora. É preciso libertar.
Depois de escrever essa letra, caí no choro. E não era aquele chorinho de nada, era aquele choro de salgar a cara toda e entupir o nariz. Olhos inchados, rosto todo vermelho de chorar, a paisagem não era a mais bela. O processo criativo é lindo, é saboroso, mas às vezes dói. Mas era preciso. Era preciso libertar. A partir do momento que escrevo, é como se transportasse as emoções para o papel. A partir do momento que transportei as emoções, já não tenho mais a obrigação de carregar o peso delas. Porque emoção demais pesa, pesa muito, e eu sou toda sentimento.
Sugestão do Google pra você :

Como componho minhas músicas

Ter me iniciado na poesia em 88/89, quando tinha entre 8 a 9 anos de idade, com certeza me ajudou muito para o que preciso no processo de escrita de canções. A familiaridade com as rimas, a beleza da estrutura de construção de um soneto, tudo isto me deu bases para a escrita de músicas.
Mas na música entra também o ritmo, som, melodia, pausa, e tudo isso deve andar de mãos dadas com a letra.
Não sou do tipo que dá música a uma letra já pronta, para mim a construção começa antes, ou primeiro com a melodia, ou com tudo junto sendo feito ao mesmo tempo.
Depois entra o processo de banho-maria, em que alguns rascunhos vão ganhando forma depois de um tempo, depois que os pensamentos e emoções se alinham na cabeça.
Mas antes de qualquer técnica, o que vale mais é a emoção, o sentimento que colocamos para fora em casa música nova. Quanto mais intimista, mais consegue passar verdade, a nossa verdade. Quanto mais real, mais fácil fica o processo de composição. 
Compor, para mim, é uma necessidade. Uma necessidade de me expressar, de libertar em versos e música o que talvez não consiga dizer de outra forma.
Sugestão do Google pra você :