Obrigada a todos que estão curtindo a minha música

Obrigada a todos que estão curtindo a minha música no youtube, tenho certeza de que o coração de vocês é lindo e generoso. Para mim, que antes só mostrava as minhas músicas para menos de 10 pessoas muitíssimo íntimas, tem sido uma experiência nova mostrar esse meu outro lado também para pessoas que não conheço. Cada uma que entra, que visualiza, que me manda seu feedback pot comentário ou mensagem, deixa meu coração leve e feliz. 
Sugestão do Google pra você :

Letra da última música que compus: Luz na caminhada (Vida de Negs)

Luz na caminhada (Vida de Negs)
Paola de Balzac

Quando você nessa vida chorar,
eu quero ser seu afeto, seu lenço,
seu ombro e seu colo
E quando você de mim precisar
eu quero ser sua mão, sua mãe,
sua terra, seu teto e seu solo.

Vida de negs não pára,
é só luz na caminhada,
só o amor e a paz
que destroem os muros,
constroem estradas.
Vida de negs nos fala:
quando as mãos estão dadas
juntos nós podemos tudo
e sozinhos, nada!

O que nos falta no mundo
é amor, empatia,
levar alegria aos outros,
não importa se é pouco,
o que vale é ajudar!
Deixar de lado o egoísmo
e plantar sorrisos nos rostos
assuma seu posto,
vem negs, com força
Deus vai nos guiar!

Vida de negs, vida de negs

Sugestão do Google pra você :

Vou publicar no Youtube a última música que compus

Ainda hoje, vou fazer uma coisa inédita: mostrar para desconhecidos uma música que compus. Não só, vou publicar a última música que compus, ainda por esses dias, foi no dia 14 à noite. 
Na Bio do meu instagram (@paoladebalzacoficial) me descrevo como compositora, mas aí perguntam: mas cadê suas músicas? Pois é, nunca publiquei nenhuma, sempre mostrei só para familiares e amigos. Contraditório isso, né? Porque enquanto fotógrafa sempre mostrei minhas fotografias, enquanto massoterapeuta e depiladora sempre mostro algo relativo ao meu trabalho, e até nos tempos em que era só poetisa, participava de concursos literários e mostrava minhas poesias para desconhecidos também. Mas com a música, sempre foi uma coisa mais íntima, talvez inclusive pela necessidade que a composição tem de ficar de molho.
Mas dessa vez vou mostrar. E vou mostrar assim, no esqueleto, crua, e por quê? Porque quero espalhar a mensagem que essa música traz, que é uma mensagem de solidariedade e de amor ao próximo, algo urgente e necessário nos dias de hoje.
O nome da música é “Luz na Caminhada (Vida de negs)”, daqui a pouco trago a letra, e um pouquinho depois publicarei o vídeo lá no meu canal do youtube http://www.youtube.com/c/paoladebalzac.
Sugestão do Google pra você :

Mas se me perguntas se eu te amo

compositores

“Mas se me perguntas se eu te amoDigo que ‘talvez’ ou ‘só de vez em quando'”

(Trecho de uma música que acabei de compor hoje).

Sim, compor é uma grande maravilha, mas, muitas vezes, uma grande dor também.
Porque na poesia, ao escrever uma letra, a gente tem que buscar uma verdade lá de dentro.
E aí são horas e mais horas, por vezes dias – neste caso dois dias, mas algumas levam meses – remexendo na mesma letra, remoendo, retorcendo, redescobrindo emoções.
Por que escrever, se escrever pode trazer também tanta dor? Não é uma escolha. É uma necessidade. É preciso colocar para fora. É preciso libertar.
Depois de escrever essa letra, caí no choro. E não era aquele chorinho de nada, era aquele choro de salgar a cara toda e entupir o nariz. Olhos inchados, rosto todo vermelho de chorar, a paisagem não era a mais bela. O processo criativo é lindo, é saboroso, mas às vezes dói. Mas era preciso. Era preciso libertar. A partir do momento que escrevo, é como se transportasse as emoções para o papel. A partir do momento que transportei as emoções, já não tenho mais a obrigação de carregar o peso delas. Porque emoção demais pesa, pesa muito, e eu sou toda sentimento.
Sugestão do Google pra você :

Como componho minhas músicas

Ter me iniciado na poesia em 88/89, quando tinha entre 8 a 9 anos de idade, com certeza me ajudou muito para o que preciso no processo de escrita de canções. A familiaridade com as rimas, a beleza da estrutura de construção de um soneto, tudo isto me deu bases para a escrita de músicas.
Mas na música entra também o ritmo, som, melodia, pausa, e tudo isso deve andar de mãos dadas com a letra.
Não sou do tipo que dá música a uma letra já pronta, para mim a construção começa antes, ou primeiro com a melodia, ou com tudo junto sendo feito ao mesmo tempo.
Depois entra o processo de banho-maria, em que alguns rascunhos vão ganhando forma depois de um tempo, depois que os pensamentos e emoções se alinham na cabeça.
Mas antes de qualquer técnica, o que vale mais é a emoção, o sentimento que colocamos para fora em casa música nova. Quanto mais intimista, mais consegue passar verdade, a nossa verdade. Quanto mais real, mais fácil fica o processo de composição. 
Compor, para mim, é uma necessidade. Uma necessidade de me expressar, de libertar em versos e música o que talvez não consiga dizer de outra forma.
Sugestão do Google pra você :